Hipertrofia para treino de força?

Categoria: Treinamento Data de postagem: 26 de julho de 2019

“Brain And Muscles”

Alguns dizem que o músculo tem um cérebro só para ele

Para ganhar força, precisamos a todo momento excitar esse “cérebro muscular”. É como se a gente ensinasse ao músculo a produzir força e um padrão de movimento eficiente. Isso se chama de fatores neurais.

Tá, mas onde isso é importante? Toda vez que fazemos um treino de força propriamente dito, aumentamos a quantidade e a expansão em volume dos fatores neutrais, ou seja, “nosso cérebro muscular” se torna cada vez mais inteligente.

Na prática quer dizer que para ser forte, precisamos fazer força.

Além disso, precisamos lembrar a esses fatores neurais ‘como’ produzimos força. Por exemplo: quando ficamos muito tempo sem agachar pesado (ou seja, sem fazer força), nosso sistema neuromuscular “esquece” que ele tem esse poder, e temos a sensação de que aquela carga está mais pesada habitualmente. por isso dependendo da fase do treinamento, é natural a diminuição da força momentânea.
E é aí entra a grande questão da periodização! ⠀

Com o passar dos anos, a ciência percebeu que podia aliar algo que ajudasse no ganho de força. A hipertrofia! Hipertrofiar o músculo é como se fosse “preparar o terreno” para que o corpo possa fazer força de maneira eficiente. .
O trabalho acessório (muito comum hoje em dia), visa deixar o atleta com corpo estável e balanceado, pois o aumento transversal do volume muscular o deixará mais apto para que possa fazer um treino de sobrecarga.

Usar o Functional Bodybuilding é uma grande sacada porque através dessa metodologia de treinamento, conseguimos deixar o praticante com a “carcaça” blindada, visto que ajuda no sistema articular e tendão. Dessa maneira, um trabalho acessório bem planejado deixará o músculo forte para produção de força, sem sobrecarregá-lo e diminuindo a chance de lesão.

Esse é o smart train

Compartilhe esta postagem