Por que sentimos dor?

Categoria: Treinamento Tag: , Data de postagem: 26 de julho de 2019

Por que sentimos dor?
Why does it hurt?

 

Os esportes de condicionamento extremo têm a capacidade de deixar o público encantado por uma simples questão: sustentar a dor. Dor e alto rendimento são duas coisas inseparáveis, quem consegue sustentar por mais tempo, ganha! ⠀
⠀⠀⠀
A grande “sacada” no esporte são as novas adaptações fisiológicas do atleta. Dessa maneira, o treinamento molda o atleta para as situações extremas como a competição!

Nas modalidades de condicionamento extremos colocamos esforço aos treinos e competições. Não importa o que faça, esses esforços diários de alta intensidade chegam em ciclos de fadigas, podendo ser fadiga central e/ou periférica. ⠀⠀

Quando estamos treinando por muito tempo, exigindo da fisiologia corporal, o músculo é o primeiro a sentir. Acontece que, nesse momento, há interrupção nos estoques para produção de energia. Bem… Essa é fadiga periférica que é gerada por estímulo contra resistência, causando a formação de resíduos no músculo. ⠀

Na prática, quando estamos em um treino de potência, acaba resultando na produção de resíduos como o H+ e lactato. Nesse momento, acontece aquela sensação de “queimação” no músculo que acaba sendo transmitido pelo sistema neuromuscular até o cérebro. Quando chega ao córtex cerebral, nós interpretamos isso como dor. Daí, chegamos na fadiga central. ⠀

A fadiga central acontece, muitas vezes, uma falha de comunicação com o músculo, ou seja, o cérebro já não conversa muito bem com a musculatura. É comum quando o atleta está em estado de cansaço fisiológico, não conseguir realizar ou errar movimentos de alta complexidade justamente pela falta de sincronização entre os comandos do cérebro e o músculo! ⠀

Dor? É uma percepção subjetiva que o cérebro entende, causando a fadiga central, nesse caso. A parte boa é que essa fadiga é reversível, principalmente por fatores externos como uma dose de motivação, torcida, palavras de apoio, fazendo com que cérebro aumente o número de neurotransmissores com músculo, reatando a comunicação do sistema neuromuscular. ⠀

Essa é a mentalidade esportiva, ou, o MindSet. Reprograma o mental para motivar e tentar melhorar a fadiga central.

Compartilhe esta postagem